Pesquisar este blog

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Se Rousseau viesse aqui hoje arrepiaria os cabelos.





Se Rousseau viesse aqui hoje arrepiaria os cabelos.
Jonas Dias[1]
Alguns filhos hoje não querem sair de casa de jeito nenhum. Querem ser contestadores, sem, no entanto, sair das boas graças da mamãe e do papai. Se estivessem trabalhando, não haveria tempo para sair por aí, revivendo as ideologias de antanho. Não gostam de militares, mas adoram um coturno. São anticapitalistas, mas gostam muito da TV a cabo.
Ser contestador vivendo à custa da família é fácil. Chega a conta de luz... Chega a  conta de água...E estes, nem sequer sabem a data do vencimento.
Mas onde entra Rousseau nesta história? Rousseau, escreveu uma obra chamada O CONTRATO SOCIAL.  Publicada em 1762, é considerada uma de suas obras mais importantes, e também muito criticada. Nesta obra, Rousseau critica o absolutismo e o feudalismo, males que afligiram a Europa por séculos. Veladamente, o pensador constrói um novo pensamento de governo.  As amizades de Rousseau incluíam Voltaire, Diderot, D’Alembert. Uma turma que resolveu fazer um movimento e foram chamados de enciclopedistas. Rousseau incomodava tanto, que teve que ficar vagando de um lugar para outro. Alguns jovens hoje, incomodam, mas não saem debaixo da barra da saia da mamãe.
E qual o motivo de Rousseau arrepiar os cabelos?
Veja o que ele escreveu no Contrato Social:
“A mais antiga de todas as sociedades, e a única natural, é a sociedade da família. Os filhos permanecem ligados ao pai apenas pelo período de tempo que dele necessitam para se manter. Tão logo a essa necessidade cesse, o laço natural se dissolve. Os filhos, eximidos da obediência ao pai, e o pai, isento dos cuidados que deve aos filhos; todos se estabelecem igualmente na independência. Se continuam a permanecer unidos, já não é mais naturalmente, mas voluntariamente, e a própria família se mantém somente por convenção.”
Tudo bem. Podem dizer que o tempo mudou. Mas é inegável que hoje, alguns querem sair do dever de obedecer. Mas não querem o dever de se manter.
Mas isto é outro assunto...





[1] Graduado em Filosofia pela Universidade de São João Del-Rei-UFSJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Filosofe conosco. Mas saiba que filosofia pressupõe ser refutado. Respeite o direito de cada um. Seja educado. Lembre-se que debatemos ideias e não pessoas. A liberdade de expressão não livra o sujeito dos ditames legais.