Pesquisar este blog

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Sobre a preguiça intelectual.



Sobre a preguiça intelectual.
Jonas Dias[1]
Existe uma forma de preguiça que é danosa para a vida do homem. Embora todas as formas sejam perigosas, a preguiça intelectual é uma praga que ronda a nossa sociedade. Antes havia a desculpa de que os livros eram caros.  Sim, eles continuam caros. Mas existem as Bibliotecas Públicas e atualmente os livros nos formatos eletrônicos possibilitaram o acesso a excelentes publicações.
Preguiça Intelectual, não se refere somente à falta de leitura. Mas aquela preguiça de colocar a cachola para funcionar e tentar descobrir a causa de alguns problemas que vivenciamos. Não faço propaganda para este ou aquele governo. Mas tenho visto algumas repetições de jargões e falácias e raramente consigo algumas explicações plausíveis de quem os repete.
Diga-se de passagem, é mais fácil ser um pseudo intelectual do que ir contra um sistema que pretende dominar a mídia e a mente dos Brasileiros. O que a preguiça intelectual está permitindo é a mudança de nossa história ao sabor de ideologia políticas importadas de republiquetas.  Não vejo os universitários como os via a vinte anos. Um saudosismo antigo me consome.
Mas vejo uma geração perdida nos meandros do internetês  e sem saber navegar no mar de nossa língua mãe. A preguiça intelectual permite sermos explorados por pessoas inescrupulosas, que devoram um pouquinho de livros. A preguiça intelectual mostra uma geração aceita as letras esdrúxulas de uma música enlatada que exalta a criminalidade em detrimento do estado democrático de direito. Mesmo sabendo que os preguiçosos intelectuais possuem o sagrado direito de escutar as baboseiras que quiser. De abrir a goela para serem entupidos com uma cultura lixo.
E assim prossegue o nosso barco. E depois ficam filosofando tentando descobrir o motivo de não ter ido bem no ENEM.
Mas isto é outro assunto...





[1] Graduado em Filosofia pela Universidade Federal de São João del-Rei- UFSJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Filosofe conosco. Mas saiba que filosofia pressupõe ser refutado. Respeite o direito de cada um. Seja educado. Lembre-se que debatemos ideias e não pessoas. A liberdade de expressão não livra o sujeito dos ditames legais.